Agronegócios
18/12/2020 11:58

EUA: empresas mantêm foco na alimentação em casa, tendência que deve permanecer mesmo com vacina


Nova York, 18/12/2020 - As empresas de alimentos dos Estados Unidos, que viram o consumo de alimentos migrarem dos restaurantes e comida de rua para as residências, apostam na manutenção desse novo modo de consumo mesmo após a chegada das vacinas contra covid-19. A tendência que começou com as restrições para conter a pandemia, com fechamento de restaurantes e bares, deve continuar à medida que as famílias tentam economizar.

"O que aprendemos com as recessões anteriores é que uma das primeiras maneiras pelas quais os consumidores procuram economizar dinheiro é comer mais em casa em vez dos restaurantes", disse o presidente-executivo da General Mills, Jeff Harmening. Segundo a gigante de alimentos norte-americana, o aumento das vendas verificado no início da pandemia ainda está "moderado", mas a empresa espera se beneficiar ainda mais com as refeições caseiras.

As vendas na Divisão de Varejo da General Mills na América do Norte aumentaram 9% no último trimestre em relação ao ano anterior, após um salto de 14% no trimestre. A Campbell Soup relatou, na semana passada, uma tendência semelhante. As companhias estão entre aquelas que apostam que os norte-americanos continuarão comendo em casa mais do que no período anterior à pandemia, mesmo após a chegada dos imunizantes contra covid-19.

"Ainda estamos no meio de uma pandemia", disse Harmening. "O impacto generalizado da vacinação provavelmente levará tempo." O executivo acredita também que muitos consumidores estão aproveitando os benefícios de trabalhar em casa e ter mais tempo com suas famílias. "Estou altamente confiante de que as pessoas não irão para o escritório tão cedo; elas não farão tantas viagens de negócios", disse Harmening. "Isso significa comer mais em casa."

A pandemia do novo coronavírus proporcionou aos grandes fabricantes de alimentos a oportunidade de atrair milhões de novos consumidores que encheram suas despensas e geladeiras nos primeiros meses da pandemia. O setor pretende aproveitar o momento e investir em marketing e capacidade de produção.

"Na verdade, trata-se de garantir que tenhamos uma chance de manter alguns dos ganhos que estamos vendo neste ambiente", disse Harmening. Fonte: Dow Jones Newswires
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2021 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos