Agronegócios
11/04/2019 14:00

Citros/Suco: exportação cai 13% em volume e 12% em receita em nove meses da safra 2018/2019


Ribeirão Preto, 11/4/2019 - As exportações brasileiras de suco de laranja recuaram 13% em volume e 12% em receita nos nove meses da safra 2018/2019, entre julho e março, sobre igual período da safra anterior. O volume saiu de 855.822 toneladas para 741.072 toneladas e o faturamento recuou de US$ 1,560 bilhão para US$ 1,376 bilhão. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR) a partir dos números do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC)

O levantamento considera a soma dos volumes de suco de laranja concentrado e congelado (FCOJ) e do suco fresco, ou não concentrado e congelado (NFC). O volume de NFC, seis vezes maior, é transformado no equivalente em FCOJ e somado ao do concentrado no total divulgado.

As exportações brasileiras de FCOJ nos nove meses de 2018/2019 somaram 524.018 toneladas, queda de 19% em relação ao mesmo período de 2017/2018, quando foram exportadas 650.278 toneladas. Já o faturamento com esse tipo de suco, de US$ 980,3 milhões, foi 17% menor que o US$ 1,1 bilhão de igual período da safra anterior.

As vendas externas de NFC tiveram alta de 6% na mesma base de comparação, de 205.544 toneladas para 217.054 toneladas equivalentes, e o faturamento cresceu 3%, de US$ 384,3 milhões para USS 395,2 milhões "O NFC é um produto mais nobre e que caiu no gosto do consumidor e isso é muito bom", explica Ibiapaba Netto, diretor-executivo da CitrusBR.

Mercados
A União Europeia, mercado que consome cerca de 70% do suco de laranja brasileiro, importou 478.098 toneladas em suco de laranja equivalente em FCOJ entre julho de 2018 e março 2019, queda de 7% em relação às 512.909 toneladas registradas no mesmo período de 2017/2018. O faturamento somou US$ 889,28 milhões, ante os US$ 929,57 milhões de receita com as vendas da bebida ao bloco econômico do período, queda de 4%.

Para os Estados Unidos, entre julho do ano passado e março de 2019 foram embarcadas 167.831 toneladas, ante 226.635 toneladas no período anterior, recuo de 26%. Em receita, a queda foi de 27% na mesma base de comparação, de US$ 404,10 milhões para US$ 296,65 milhões. A redução é explicada pela recuperação da safra de laranja e da oferta de suco na Flórida na atual safra, depois de um período de perdas em pomares por causa do furacão Irma.

Terceiro maior mercado da bebida, o Japão registra queda nas importações de suco de laranja brasileiro na safra 2018/2019. Entre julho de 2018 e março último foram exportadas 35.345 toneladas para o país oriental, 6% a menos que o volume embarcado no mesmo período da safra 2017/2018, de 37.721 toneladas. A receita com embarques para o Japão foi de US$ 69,45 milhões no período da atual safra, 4% abaixo dos US$ 72,46 milhões do período anterior.

A China, quarto maior mercado consumidor do suco de laranja brasileiro, importou 25.158 toneladas até março na safra 2018/2019, ante as 26.124 toneladas em nove meses da safra anterior. A queda foi de 4% no volume e de 1% no faturamento, de US$ 52,17 milhões para US$ 51,56 milhões. "A China tem um grande potencial e o consumo interno aumentou quase 200% nos últimos 15 anos", informou Netto. "Temos grandes esperanças que as negociações lideradas pelo Ministério da Agricultura em relação às condições de acesso melhorem nossa competitividade e possamos crescer naquele mercado", completou, se referindo às regras aduaneiras, com a taxação extra da bebida brasileira por variação de temperatura.

(Gustavo Porto - gustavo.porto@estadao.com)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos