Agronegócios
20/11/2020 08:29

Carne/EUA: Tyson suspende gerentes após alegações de que faziam apostas sobre infecções por covid-19


Nova York, 20/11/2020 - A Tyson Foods informou ter suspendido gerentes de uma fábrica de carne suína em Iowa, nos Estados Unidos, após alegações de que alguns apostaram no número de trabalhadores que seriam infectados com covid-19 enquanto a pandemia afetava a indústria de carne na primavera do Hemisfério Norte.

O presidente-executivo da Tyson, Dean Banks, disse que a empresa contratou o escritório de advocacia Covington & Burling para investigar as alegações. As denúncias foram feitas em uma ação judicial por homicídio culposo movida pela família de um ex-funcionário da fábrica de Waterloo, Iowa, que morreu em abril após contrair o coronavírus.

"Se essas alegações forem confirmadas, tomaremos todas as medidas necessárias para erradicar e remover esse comportamento perturbador de nossa empresa", disse Banks. A Tyson informou que os indivíduos foram suspensos sem remuneração e que a investigação seria conduzida pelo ex-procurador-geral dos EUA Eric Holder, agora sócio da Covington & Burling.

A Tyson e outros frigoríficos estão trabalhando para fortalecer as defesas contra a covid-19 à medida que as infecções em todo o país atingem níveis recordes. A onda inicial da pandemia infectou milhares de trabalhadores de frigoríficos e matou 86, de acordo com o Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, forçando empresas como Tyson, JBS USA Holdings, Smithfield Foods, Cargill e outras a fechar temporariamente fábricas. Esses fechamentos levaram à falta de carne nos supermercados e ao acúmulo de gado nas fazendas.

O presidente dos EUA, Donald Trump, emitiu uma ordem executiva no fim de abril que designava os frigoríficos como infraestrutura crítica, dando autoridade ao Departamento de Agricultura sobre fechamentos. A medida protegeu a Tyson e outras empresas de carne de pressões em nível estadual e municipal para fechar temporariamente as fábricas, embora algumas empresas ainda tenham fechado as plantas voluntariamente depois que Trump emitiu a ordem.

A unidade de Waterloo é a maior instalação de processamento de suínos da Tyson, abatendo cerca de 20 mil animais por dia. A Tyson disse em 22 de abril que fecharia temporariamente as instalações depois de notícias de que centenas de funcionários foram infectados com o vírus e de algumas autoridades locais instarem a empresa a agir.

Uma ação movida em agosto no Tribunal Distrital de Iowa para o Condado de Black Hawk busca responsabilizar a Tyson, bem como vários executivos e gerentes da fábrica de Waterloo pela morte de Isidro Fernandez, um trabalhador da unidade que morreu em 26 de abril de complicações relacionadas à covid-19, de acordo com a ação judicial.

De acordo com uma denúncia ampliada apresentada este mês no caso de homicídio culposo, o gerente da fábrica organizou em 12 de abril um pool para supervisores e gerentes apostarem quantos funcionários testariam positivo para o novo coronavírus. O documento indica ainda que os gerentes da fábrica demoraram a fornecer equipamentos de segurança e pressionaram os trabalhadores doentes a permanecer no trabalho.

"É quase surreal que as pessoas estivessem apostando em vidas humanas no local onde seus entes queridos trabalharam", disse Mel Orchard, advogado que representa Oscar Fernandez, que entrou com o processo pela morte de seu pai. "O fato de a Tyson estar investigando é um passo na direção certa, mas parece que, do meu ponto de vista, eles estiveram correndo na direção errada por muito tempo."

Em outubro, a Tyson contestou na Justiça as alegações iniciais da família Fernandez e argumentou que a ordem executiva de Trump protegeu a empresa de reivindicações relacionadas às regulamentações estaduais. A Tyson disse que o caso deve ser julgado em um tribunal federal. Em outubro, o caso foi transferido para o Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Norte de Iowa.

Um porta-voz da Tyson afirmou que a resposta da empresa em Waterloo foi prejudicada porque autoridades do departamento de saúde do condado inicialmente se recusaram a compartilhar informações sobre os funcionários da fábrica com teste positivo para o novo coronavírus. Antes da reabertura da planta, disse o porta-voz, autoridades locais visitaram a fábrica e expressaram apoio aos esforços de segurança da Tyson.

A Tyson disse que está dando prioridade à segurança de seus 139 mil funcionários, gastando cerca de US$ 540 milhões este ano para renovar as fábricas com partições entre as estações de trabalho da linha de processamento e scanners automáticos de temperatura. A empresa disse que está realizando testes entre os funcionários e monitorando as taxas de infecção na comunidade, enquanto contrata centenas de novas enfermeiras e profissionais de saúde.

O presidente do sindicato United Food and Commercial Workers International Union, Marc Perrone, disse que as alegações no processo da família de Fernandez mostraram a necessidade de padrões nacionais aplicáveis em torno da proteção da saúde dos trabalhadores das indústrias de carne. Fonte: Dow Jones Newswires.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos