Agronegócios
19/10/2020 13:27

Milho/Abramilho: importação precisa ser "bem dosada" para não desestimular plantio


Por Leticia Pakulski

São Paulo, 19/10/2020 - O presidente institucional da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), Cesario Ramalho da Silva, disse que a importação de milho tem que ser "muito bem dosada" e "equilibrada" para que não desestimule o plantio da safra 2020/21 do cereal, que começa a ganhar ritmo. "Não podemos negar que a medida (isenção de imposto) é um elemento novo no mercado, que causa certa apreensão a nós produtores", disse Ramalho da Silva, em nota.

O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu na sexta-feira, em reunião extraordinária, a partir de propostas apresentadas pelos ministérios da Agricultura (sobre a soja) e da Economia (sobre o milho) zerar a alíquota do imposto de importação para o complexo soja (grão, farelo e óleo de soja) e para o milho a fim de manter o equilíbrio na oferta desses produtos no mercado doméstico. A suspensão temporária do imposto de importação para soja (grão, farelo e óleo) valerá até 15 de janeiro de 2021. Já em relação ao milho, as importações brasileiras sem taxas vão até 31 de março de 2021.

Conforme Ramalho da Silva, a demanda por milho vem crescendo de forma significativa nas safras mais recentes, e as exportações "tiveram um impulso a mais" neste ano com a valorização do dólar, ao mesmo tempo que a indústria de carnes também tem no grão o seu principal insumo. "Isso prova a competência do produtor brasileiro que ano a ano incorpora novas tecnologias, obtendo ganhos de produtividade, bem como grãos cada vez mais de melhor qualidade", disse, na nota.

Contato: leticia.pakulski@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: