Agronegócios
23/08/2019 18:34

Pro Farmer Crop Tour: estimativas finais para soja e milho ficam abaixo dos números do USDA


Chicago, 23/08/2019 - Estimativas finais da expedição Pro Farmer Midwest Crop Tour, que percorreu lavouras do Meio-Oeste dos Estados Unidos nesta semana, apontam para uma safra reduzida de soja e milho em 2019/20. Os números, mais baixos que os do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), refletem principalmente o clima excessivamente úmido durante a primavera do Hemisfério Norte, que atrapalhou o plantio e causou atrasos no desenvolvimento das lavouras.

De acordo com as projeções, divulgadas após o fechamento dos mercados de grãos na Bolsa de Chicago (CBOT), produtores devem colher 3,497 bilhões de bushels (95,18 milhões de toneladas) de soja em 2019/20, com rendimento de 46,1 bushels por acre (3,1 toneladas por hectare). Na semana passada, o USDA estimou a produção em 3,680 bilhões de bushels (100,16 milhões de toneladas), com produtividade de 48,5 bushels por acre (3,26 toneladas por hectare).

Os organizadores da expedição disseram que viram muitas plantas pequenas durante a semana, com menos vagens e menos grãos por vagem. Com base no que os participantes puderam verificar durante a semana, boa parte da soja deve se comportar como uma segunda safra, disse a Pro Farmer. A consultoria observou que vários campos de soja visitados ainda estavam florescendo.

Para o milho, a Pro Farmer estimou uma colheita de 13,358 bilhões de bushels (339,29 milhões de toneladas), com produtividade média de 163,3 bushels por acre (10,25 toneladas por hectare). A projeção mais recente do USDA é de uma safra de 13,901 bilhões de bushels (353,09 milhões de toneladas), com rendimento de 169,5 bushels por acre (10,64 toneladas por hectare).

A Pro Farmer observou que sua fórmula para estimar o rendimento de milho funciona melhor nos anos em que a safra está mais madura. A consultoria acrescentou, porém, que a experiência mostra que os números de produtividade coletados durante a semana devem ser ajustados para baixo nos anos em que o desenvolvimento está atrasado. Por causa desse atraso, boa parte do que se mediu foi o potencial de rendimento, explicou a Pro Farmer. E a realização desse potencial vai depender em grande parte do clima.

"As lavouras precisam de muito sol, baixa umidade e chuvas oportunas para terminarem fortes", disse a Pro Farmer. Segundo os organizadores, uma geada antecipada poderia ser altamente prejudicial à safra, que já está com o desenvolvimento mais de duas semanas atrás do normal.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos