Economia & Mercados
05/09/2019 16:39

BC aprova primeira fintech para operar plataforma de crédito pessoal direto


Por Cynthia Decloedt

São Paulo, 05/09/2019 - O Banco Central autorizou hoje a primeira fintech a operar com empréstimo direto entre pessoas físicas. A plataforma de crédito, chamada Bullla, liga pessoas físicas interessadas em tomar empréstimos, com investidores que desejem aplicar seus recursos em tais créditos. Com a Bullla, já são três fintechs que receberam o aval do BC para atuar como Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP), no mercado conhecido como "peer to peer", regulamentado em abril do ano passado. A Nexxos, aprovada pelo BC em junho, faz a intermediação de crédito entre empresas, enquanto a Mova está focado no crédito estudantil.

O projeto é de Marcelo Villela, ex-presidente do Banco Lozango, e que está empenhado em democratizar o crédito com a criação de uma comunidade financeira. "Em um ciclo virtuoso, cresce a comunidade, caem os juros”, comenta o executivo.

Seguindo a tendência, a plataforma utiliza o mesmo modelo de acesso de aplicativos de transporte ou locação de imóveis, como Uber e o Airbnb. O risco de inadimplência do tomador é avaliado pelo Bullla. Villela aposta que o uso contínuo da plataforma fará com que a classificação de risco do tomador deixe de ser baseada em seu comportamento externo e passe a refletir seu score de crédito dentro da própria plataforma.

A remuneração do Bullla vem do serviço de avaliação dos créditos e da formalização dos contratos. A taxa de juro do empréstimo está baseada no quanto o investidor quer de prêmio para correr o risco daquele tomador. Os valores para concessão do empréstimo serão entre R$ 1 mil e R$ 5 mil e a plataforma não aceita os negativados.

Além das SEPs, o Banco Central, também em abril de 2018, regulamentou a Sociedade de Crédito Direto, que permite que as fintechs concedam crédito por meio de plataforma eletrônica, mas com recursos próprios. Esse tipo de instituição não pode, portanto, fazer captação de recursos do público. Sob esse regime, já foram autorizadas a operar pelo BC nove fintechs, oito delas este ano.

Com as duas normas, o Banco Central está criando espaço para a atuação das fintechs no mercado de crédito dentro de um ambiente regulado, dado a escalada no número de novos players ingressando na oferta de tais serviços.

Contato: cynthia.decloedt@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos