Economia & Mercados
13/09/2018 09:09

BB: reforma estatutária da Cassi pode gerar despesa adicional de R$ 300 milhões


São Paulo, 13/09/2018 - O Banco do Brasil prevê que, se aprovadas as alterações no plano de saúde dos funcionários, a Cassi, haverá um aumento das despesas de R$ 300 milhões este ano. Entretanto, a despesa adicional não altera as projeções (guidance) para 2018 e não impacta o passivo atuarial, conforme comunicado ao mercado, divulgado há pouco sobre a aprovação pelo conselho diretor da proposta de
reforma estatutária apresentada pelo Conselho Deliberativo da Caixa de Assistência
dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi).

Como noticiou ontem o Broadcast, o rombo anual do plano de saúde dos funcionários é de quase R$ 1 bilhão, e o banco vai tentar elevar a contribuição dos associados e reduzir despesas com a contratação de serviços médicos. A votação depende de um quórum superior a 50% dos associados. A proposta precisa de três quartos dos votos válidos para ser aprovada. Mas a Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (Anabb) tem feito campanha contra as mudanças. A entidade já apresentou duas propostas alternativas para sanear o plano, que foram rejeitadas pela diretoria da Cassi. Ainda assim, os representantes dos funcionários devem apresentar uma terceira proposta divergente nos próximos dias, de acordo com a reportagem.

O BB diz que o propósito da reforma estatutária é promover modificações no modelo de custeio do Plano de Associados e de realizar alterações e melhorias na gestão e na governança da Cassi. (Luana Pavani - Luana.pavani@Estadao.com e Eduardo Rodrigues)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos