Economia & Mercados
30/06/2020 08:17

Ao levantar R$ 2,69 bilhões, BTG aquece mercado de plataformas de investimento


Por Fernanda Guimarães

São Paulo, 30/06/2020 - No meio da disputa entre XP e Itaú Unibanco, que direcionou mais do que nunca os holofotes para as plataformas de investimento, o BTG Pactual acaba de colocar no caixa R$ 2,69 bilhões, após concluir sua oferta subsequente de ações, o follow on. A expectativa é que parte desses recursos sejam direcionados à expansão da área digital do banco, que também deve buscar crescimento inorgânico para acelerar o ganho de mercado. Isso tudo em meio a um panorama que aponta para a expansão do número de investidores no Brasil em um ambiente de juro real zero, fazendo com que muitos players coloquem a pessoa física no centro da estratégia dos negócios.

Com o caixa recheado, o BTG poderá olhar para o mercado de plataformas de investimentos no Brasil, com casas em busca de investidores e identificar o melhor caminho para seu crescimento. E há muita movimentação. A corretora Easynvest contratou o J.P. Morgan para buscar um sócio que a ajude a crescer. A Guide, por sua vez, tem o Credit Suisse como assessor, com o mesmo objetivo de ser capitalizado. Há uma semana, o Credit Suisse comprou uma fatia minoritária no ModalMais. No meio de tudo isso, a XP e seu maior sócio, o Itaú, se engajaram em uma briga pública cujo cerne é exatamente o mundo dos investimentos.

Desde que anunciou sua oferta, há uma semana, e com a expectativa do mercado de crescimento da plataforma digital, a ação do banco teve uma resposta positiva, ajudando o papel a zerar as perdas acumuladas com a pandemia. Em um ano, a ação subiu 52,8%.

A instituição ainda não abriu ao mercado os números da sua plataforma digital ou do total de clientes, argumentando que a informação é estratégica e que passará a ser divulgada em um momento oportuno. Conforme fonte, o BTG Pactual Digital terá mais de 300 agentes autônomos, em cerca de 70 assessorias de investimentos.

O BTG foi o coordenador líder da oferta, ao lado do Bradesco BBI, Itaú BBA e Santander. Essa é a segunda oferta do banco em um ano. No ano passado, também fez uma emissão de R$ 2,5 bilhões, que ajudou a recompor liquidez aos papéis do banco na bolsa, trazendo novos investidores.

Contato: fernanda.guimaraes@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos