Economia & Mercados
06/12/2021 10:19

Exclusivo: Levantamento mostra que 192 startups podem ajudar no uso de recursos energéticos


Por Leandro Tavares

São Paulo, 06/12/2021 - Um levantamento feito pela Quintessa, que atua em soluções voltadas para as áreas sociais e ambientais, mostra que 192 startups, de um universo de 5 mil mapeadas pela empresa, podem ajudar a indústria privada e setores públicos na melhor utilização de recursos energéticos e na oferta de energias renováveis.

Pelo estudo, 100 startups, ou 52% do total de 192, estão voltadas para a energia solar, o que demonstra a crescente demanda por essa fonte e a necessidade de diversificação da matriz brasileira, ainda muito dependente da fonte hidrelétrica.

Além disso, 39 startups, ou 20% delas, estão focadas em eficiência energética, ou seja, em otimizar a geração de energia utilizando menos recursos naturais. Já 21 empresas, que representam 11% do total, conseguem atender as necessidades e apresentar as melhores soluções em energia limpa. Outros 10%, que correspondem a 19 startups, estão segmentadas para geração de energia por meio de resíduos sólidos, e cinco empresas, que representam 3%, voltadas para energia limpa por assinatura.

Na sequência, aparecem outras fontes de energia, no qual três startups estão inseridas, com 2%, assim como aquelas focadas em energia hídrica, com 2% e três empresas, e o 1% restante corresponde a duas startups, sendo uma de energia eólica e outra de acesso à energia.

Segundo a diretora da Quintessa, Anna de Souza Aranha, milhares de pessoas estão envolvidas em projetos que buscam soluções para muitos problemas da sociedade e do meio ambiente, e com a eficiência energética não é diferente.

"Essas 192 startups podem oferecer oportunidades de melhora em gargalos que algumas empresas possuem, como áreas sustentáveis, muito de encontro ao ESG [ambiental, social e governança], tão importante nos últimos anos e, ainda por cima, obter melhores desempenhos financeiros", diz Aranha.

Por região, o levantamento aponta que a maioria das startups está concentradas no Sudeste, especificamente em São Paulo (40%), grande centro financeiro do País, com 78 empresas, seguido por Minas Gerais (15%), que concentra 20% da produção da energia solar do País, com 28 startups, enquanto o Rio de Janeiro (10%) tem 19 startups, Santa Catarina (7%), com 14 empresas, e o Paraná (6%), 12 startups, fechando o top cinco dos Estados.

As soluções energéticas apresentadas por essas startups corroboram com o relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), publicado em outubro, afirmando que os investimentos em projetos energéticos descarbonizados devem triplicar em dez anos para alcançar a neutralidade de carbono em 2050.

"Mais do que aumentar a capacidade produtiva e resolver os problemas de energia de suas companhias, os empresários precisam entender a importância disso tudo perante a sociedade. Buscar alternativas aos combustíveis fósseis e hidrelétrico não é uma opção, é uma obrigação de todos", afirma a diretora da Quintessa.

Contato: energia@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: