Economia & Mercados
13/09/2018 10:30

Estadão/Empresas Mais/Rumo: prorrogação Malha Paulista deve ser enviada nesta semana ao TCU


São Paulo, 13/09/2018 - Os documentos da prorrogação antecipada da concessão da Malha Paulista devem chegar ao Tribunal de Contas da União (TCU) nesta semana, segundo informações passadas pelo governo à Rumo, afirma o presidente da empresa, Julio Fontana. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou a documentação no fim de agosto e, agora, o projeto segue ao órgão de controle para aprovação final.

O executivo reiterou a expectativa de que o aval do TCU saia ainda em 2018, tendo em vista que o órgão acompanhou as últimas discussões em torno do projeto. "Esse é o nosso sonho", disse durante a premiação Empresas Mais, do Estadão/Broadcast.

O executivo destacou ainda que não vê efeitos, ao processo da Malha Paulista, da ação de inconstitucionalidade movida pelo Ministério Público Federal no mês passado em torno da lei que permitiu a prorrogação antecipada das concessões ferroviárias.

Além de destravar cerca de R$ 6 bilhões em investimentos na Malha Paulista, a prorrogação dessa concessão também tornaria viáveis outros projetos da Rumo. Nesta semana, a empresa apresentou uma proposta de extensão de 700 quilômetros da Malha Norte, no Centro-Oeste, com aporte de outros R$ 6 bilhões. Mas, para que o projeto saia do papel, a Rumo precisaria garantir aumento de capacidade na Malha Paulista, que escoa a carga que passa pela Malha Norte até o Porto de Santos (SP).

"É uma extensão da malha, é diferente desse processo (da Malha Paulista) que estamos passando agora, é um processo muito mais simples de aprovação. Vamos resolver o problema da logística do agronegócio do Centro-Oeste, colocando uma capacidade adicional extremamente alta. Estamos apostando que esse negócio deve acontecer muito em breve", disse Julio Fontana.

Sobre a Malha Sul, o executivo afirmou que as negociações com potenciais investidores na concessionária estão "muito adiantadas". Há três concorrentes que estão em uma "corrida", mas não há pressa para fechar negócio, comenta.

Em relação ao leilão da ferrovia Norte-Sul, projeto que a Rumo vem estudando, Fontana lembrou que o TCU apontou recentemente problemas na construção do ativo, como as britas de má qualidade utilizadas. "Esse é um problema muito sério", avalia. "A atratividade do ativo reduziu em função de ainda se ter que pagar outorga em um negócio que o investimento será muito maior do que o governo está prevendo". (Letícia Fucuchima, Luciana Collet, Eduardo Laguna e Francisco Carlos de Assis)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos