Política
15/11/2020 13:59

Eleições 2020: Joice diz não acreditar em nenhum outro projeto para SP e evita falar em apoio


Por Felipe Resk

São Paulo, 15/11/2020 - Atrás nas pesquisas de intenção de voto, a candidata Joice Hasselmann (PSL) afirmou não acreditar em nenhum outro projeto para a Prefeitura de São Paulo e evitou declarar apoio em um possível segundo turno: "Tem de esperar para ver se a gente vai para o ruim, o pior ou se bate em todo mundo".

Sem a presença do senador Major Olimpio (PSL), inicialmente previsto para acompanhá-la, Joice votou no início da tarde deste domingo, 15, no Colégio Maria Imaculada, nos Jardins, zona sul da capital. Ela minimizou a ausência do correligionário e justificou que ele não pôde comparecer após a candidata alterar o horário de votação de 10h para 12h30.

Com a campanha marcada por esbanjar memes, Joice entrou no colégio já gravando uma live para os seguidores nas redes sociais. A câmera a acompanhou da porta à urna e da urna à porta, período em que a candidata parou para tirar foto com pelo menos cinco eleitores - uma delas em uma rampa de acesso. "Está atrapalhando a passagem", reclamou um presente.

Na transmissão, Joice evitou jogar a toalha, embora apareça na sétima colocação com 3% das intenções de voto, segundo última pesquisa do Ibope. "Eu sou uma mulher de coragem, não desisto nunca. E vamos mudar São Paulo", disse à câmera.

Questionada sobre as perspectivas eleitorais em seguida, Joice disse acreditar na "pesquisa das urnas", mas afirmou que a campanha já seria de "vitórias". "Minha candidatura é de reposicionamento do partido. Nós deixamos claro que o PSL é um partido liberal, de direita, que respeita as diferenças. E não um partido de malucos", afirmou.

Eleita deputada federal em 2018 na esteira do bolsonarismo, ela rompeu depois com o presidente Jair Bolsonaro e os filhos: "Tive de vencer o clã para ser candidata". "Só de conseguir a legenda é vitória. Conseguir reposicionar o partido? Vitória. Enfrentar e vencer o Palácio do Planalto? Vitória."

Joice também voltou a criticar o prefeito Bruno Covas (PSDB), favorito nas pesquisas e de quem chegou a ser cotada para a vice-candidatura antes da eleição. "Pessoalmente, eu gosto do Bruno. É um bom menino. Mas ele não deu conta do recado com a despensa cheia, o orçamento completo", afirmou. "O projeto não é bom para São Paulo."

Para um eventual segundo turno, provavelmente sem sua presença, Joice evitou antecipar apoio. "Vamos esperar, é cedo para falar, mas o quadro é de tragédia. Quando olho os candidatos que se colocam na briga ou que as pesquisas dizem que estão melhor pontuados, é uma tragédia", disse.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: