Política
22/08/2018 11:51

Prognóstico hoje é de Bolsonaro e Haddad no 2º turno, diz cientista político Murillo Aragão


São Paulo, 22/08/2018 - Um prognóstico realizado no dia de hoje aponta que um segundo turno na disputa presidencial será entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), disse o cientista político Murillo Aragão, em evento do setor do aço em São Paulo. O petista tem potencial para atingir 16% das intenções de voto, calcula Aragão, podendo aumentar em mais 12 pontos caso consiga tirar votos de nomes como Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e do próprio Bolsonaro.

"Para isso, o PT precisa fazer uma campanha muito competente, mas tem potencial e por isso não abriu mão da vaga pelo Ciro Gomes", disse Aragão. "Haverá muito drama do Lula na televisão no final do mês", disse, lembrando que essa estratégia deve ajudar Haddad a herdar os votos de Lula.

O cientista político, no entanto, não descarta que Geraldo Alckmin (PSDB) tenha chances de chegar ao segundo turno. "Ele tem fundamentos fortes, tem história para mostrar, mas que nunca soube mostrar. Ele é um candidato analógico e a sociedade é digital", destacou. Segundo Aragão, a chance de Alckmin também pode estar ancorada no caso de o eleitor decidir pelo voto útil, tirando votos de Marina e Álvaro Dias (Podemos).

Para o especialista, as redes sociais podem influenciar o quadro eleitoral no Brasil, mas ainda é preciso saber o tamanho desse fenômeno. Segundo ele, o Brasil presenciou neste ano a maior pré-campanha de sua história, tendo como palco exatamente as redes sociais. "Ela foi cheia de eventos, com personagens como Luciano Huck e Joaquim Barbosa. Esse debate vem se desenrolando desde outubro do ano passado, pelo menos", disse.

Aragão afirmou ainda que a campanha deste ano, mais curta, pode influenciar os fundamentos que historicamente predominam nas eleições, caso do tempo de televisão dos candidatos. O cientista político diz ainda que em outros anos o candidato que liderava a pesquisa em agosto estava no segundo turno. "Mas e neste ano? Quem lidera? Lula ou Bolsonaro? Lula vai conseguir transferir seus votos?", questionou o especialista.

Aragão disse que, neste ano, o eleitor estratégico é a mulher de baixa escolaridade e de baixa renda, público que, segundo ele, é alcançável pela televisão. "Esse público não é capturado pela internet e nem consome crédito do celular para assistir noticiário político", disse. É exatamente esse público onde Jair Bolsonaro (PSL) é fraco, afirmou. (Fernanda Guimarães)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2021 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos