Política
07/07/2024 08:30

França inicia eleições de segundo turno que podem levar a extrema direita ao poder


Paris, 07/07/2024 - A França vota neste domingo eleições cruciais que poderão dar uma vitória histórica ao Rally Nacional de extrema-direita de Marine Le Pen e à sua visão voltada para dentro e anti-imigrante - ou produzir um parlamento suspenso e anos de impasse político.

As eleições antecipadas deste domingo também têm impacto potencial na guerra na Ucrânia, na diplomacia global e na estabilidade econômica da Europa. E é quase certo que irão prejudicar o presidente Emmanuel Macron durante os restantes três anos da sua presidência. A França poderá ter o seu primeiro governo de extrema-direita desde a ocupação nazista na Segunda Guerra Mundial se o Rally Nacional obtiver a maioria absoluta e o seu líder de 28 anos, Jordan Bardella, se tornar primeiro-ministro.

A votação do segundo turno começou no sábado nos territórios ultramarinos da França, do Pacífico Sul ao Caribe, Oceano Índico e Atlântico Norte. As projeções iniciais das pesquisas são esperadas para domingo à noite, com os primeiros resultados oficiais esperados no final deste domingo e na manhã de segunda-feira. Até às 12h do horário local, a participação era de 26,63%, segundo o Ministério do Interior da França, volume um pouco superior aos 25,90% relatados no mesmo período durante o primeiro turno de votação no domingo passado.

O primeiro-ministro Gabriel Attal votou no subúrbio parisiense de Vanves na manhã deste domingo. A expectativa é de que Macron vote mais tarde na cidade litorânea de La Touquet, enquanto Le Pen não votará depois de vencer seu distrito no norte da França na semana passada. Em toda a França, 76 outros candidatos garantiram assentos no primeiro turno, incluindo 39 do Rally Nacional e 32 da aliança esquerdista Nova Frente Popular. Dois candidatos da lista centrista de Macron também conquistaram os seus assentos na primeira volta.

Os partidos de oposição fizeram acordos apressados antes do segundo turno de votação deste domingo para tentar bloquear uma vitória esmagadora do Rally Nacional nas eleições legislativas, após Le Pen afirmar que seu partido lideraria o governo apenas se obtivesse maioria absoluta ou perto disso. De acordo com uma contagem do jornal francês Le Monde, cerca de 218 candidatos que deveriam competir no segundo turno desistiram. Destes, 130 eram de esquerda e 82 vinham do Ensemble, aliança centrista liderada por Macron.

Fonte: Associated Press
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso