Política
09/04/2024 21:31

Sérgio Moro: julgamento técnico e impecável rejeitou ação que pedia cassação do meu mandato


Por Gabriel Hirabahasi

Brasília, 09/04/2024 - O senador Sérgio Moro (União Brasil-PR), ex-juiz da operação Lava Jato, fez um breve pronunciamento após o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) livrá-lo da cassação nesta terça-feira, 9. Moro disse que o julgamento foi “técnico e impecável” e que a decisão mostra que “juízes, desde que independentes e sujeitos apenas à lei, são a garantia da liberdade”.

Também falou que a decisão dos juízes do TRE-PR “constitui a alma e o nervo da liberdade”. “ O TRE-PR preservou a soberania popular e honrou o voto de quase 2 milhões de paranaenses”, afirmou.

“Seguimos estritamente as regras. As despesas foram todas registradas. Então, os adversários as inflaram artificialmente e invocaram inexistente abuso de poder econômico. As ações rejeitadas estavam repletas de mentiras e de teses jurídicas sem o menor respaldo, como assim reconheceu o TRE-PR. Queriam criar regras novas para a fase de pré-campanha e aplicá-las retroativamente para cassar arbitrariamente mandatos”, alegou o senador.

O ex-juiz ainda atribuiu as ações, apresentadas pelo PL de Jair Bolsonaro e pelo PT de Luiz Inácio Lula da Silva, à sua atuação na operação Lava Jato. “No fundo, não passam de oportunismo misturado com retaliação contra o combate à corrupção feito na operação Lava Jato”, alegou.

Nos cerca de cinco minutos de pronunciamento, o senador ainda citou ameaças que ele e sua família sofreram nos últimos meses. No ano passado, veio a público um plano de integrantes do PCC de um ataque contra Moro. Desde então, o ex-juiz é acompanhado diariamente por seguranças por onde anda.

Depois do pronunciamento, Moro seguiu do púlpito em frente à presidência do Senado, onde discursou para a imprensa, até o seu gabinete. Andou esse percurso de alguns metros de mãos dadas com sua esposa, a deputada federal Rosângela Moro (União Brasil-SP). Não respondeu a nenhuma pergunta dos jornalistas que o acompanharam e perguntaram sobre eventual recurso do PL e do PT para levar o caso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Desde a tarde, o senador preparou o discurso, que foi lido diante dos jornalistas que aguardaram o fim do julgamento no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná para o que foi anunciado como uma entrevista coletiva de Moro. No fim, o senador não respondeu os questionamentos e se dirigiu ao gabinete ao lado de sua mulher.

Contato: gabriel.hirabahasi@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso