Política
27/07/2017 12:35

Alckmin: se política fiscal fosse dura não precisaria aumentar impostos


São Paulo, 27/07/2017 - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu nesta quinta-feira uma política fiscal "muito dura" na esfera federal para poder garantir redução da taxa de juros. Ele afirmou que isso não significa aumento de impostos, como o determinado na semana passada para o PIS/Cofins sobre os combustíveis. "Se a política fiscal não é dura. Se fosse dura não precisava aumentar imposto", disse o tucano, que participou da cerimônia de inauguração do Centro Paraolímpico Brasileiro, na zona sul da capital paulista.

Alckmin elogiou a redução da taxa Selic para 9,25%, anunciada ontem pelo Banco Central, afirmando que a decisão ajuda a diminuir a dívida pública e estimula a atividade econômica. "O caminho é ter política fiscal muito dura, política monetária com juros baixos e, na política cambial, não deixar a moeda valorizar."

O governador disse ainda que a sucessão em 2018 não foi tratada no jantar realizado ontem no Palácio dos Bandeirantes com a cúpula do PSB. A reunião teria sido apenas de aproximação dos dois partidos e teria tratado de temas como a reforma política. Segundo o tucano, ambos defendem a implantação da cláusula de desempenho, voto distrital ou distrital misto e campanhas mais baratas com programas de televisão apenas gravados em estúdio.

O jantar reuniu o vice-governador Márcio França, o presidente do PSB, Carlos Siqueira, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, o deputado Beto Albuquerque e o ex-governador do Espírito Santo Renato Casagrande. (Marcelo Osakabe)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos