Economia & Mercados
11/07/2018 22:45

FMI:Para diretores,há riscos para país com incertezas sobre reformas e aperto financeiro global


Nova York, 11/07/2018 - Diretores-executivos do Fundo Monetário Internacional (FMI) concordam que está em curso a recuperação econômica no Brasil, mas ela é sujeita a significativos riscos com incertezas relativas a continuidade de reformas e o aperto das condições financeiras globais que ocorrem atualmente, aponta o Conselho Executivo do FMI no comunicado sobre a conclusão das consultas do Capítulo 4 para o País.

"Os diretores encorajam as autoridades a continuar os esforços para assegurar a sustentabilidade fiscal e remover impedimentos estruturais para o forte e duradouro crescimento", apontou o documento. Para o FMI, devido ao elevado nível da dívida pública no Brasil é de fundamental importância continuar a consolidação fiscal. "Dirigentes concordam que a reforma da Previdência Social é imperativa para garantir a sustentabilidade do sistema" de pensões no País.

O Fundo ressalta que medidas adicionais relativas a gastos oficiais poderiam incluir "decisivos esforços para conter" a lei de reajuste de salário mínimo, ao mesmo tempo em que deveriam ser protegidos investimentos públicos e programas sociais. "Reformas para simplificar os tributos devem ser consideradas e o arcabouço fiscal deve continuar a ser fortalecido."

Para o FMI, é bem-vinda a redução da inflação e ancoragem de expectativas no Brasil. Diretores do Fundo concordaram que a política monetária atual é adequada e "deve continuar acomodatícia para ajudar a fechar o hiato do produto", mas deve ser vigilante a fontes externas e internas de pressão para a alta dos preços.

Os diretores chancelaram a condução da política cambial e recomendaram que a intervenção no mercado de câmbio seja limitada para atender "condições desordenadas". "A política monetária deve responder a movimentos na taxa de câmbio somente quando houver riscos para expectativas de inflação", apontou o FMI, ressaltando neste contexto a importância da independência do Banco Central.

O FMI apontou que os bancos no Brasil são resilientes, mas apontou a relevância da melhoria da eficiência do sistema financeiro, especialmente com a redução dos altos custos de intermediação.

Os dirigentes do FMI apontam que são bem recebidas as reformas trabalhistas e sobre o crédito subsidiado pelo governo no Brasil, mas recomendam as autoridades do Poder Executivo a continuar com a adoção de reformas estruturais, pois são essenciais para elevar a produtividade e o potencial de crescimento da economia.

"As reformas devem ter foco na redução da intervenção do Estado no mercado de crédito, fortalecer a integração comercial e incrementar a infraestrutura pública", destacou o FMI. Os diretores do Fundo ressaltaram que os esforços atuais para combater a corrupção e lavagem de dinheiro no Brasil "são vitais para assegurar o crescimento forte e inclusivo." (Ricardo Leopoldo, correspondente - ricardo.leopoldo@estadao.com)N
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos