Política
29/11/2021 12:33

Queiroga: ômicron não vai ser diferente de outras variantes


Por Bruno Luiz

Salvador, 21/11/2021 - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (29) que a variante ômicron do coronavírus, descoberta na África do Sul, não será diferente de outras já identificadas.

Queiroga disse ter conversado com Tedros Adhanom, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), sobre a variante e que não vê perspectiva de "retrocessos" no País em relação às primeiras e segundas ondas da pandemia, mais letais.

O ministro .defendeu que os cuidados com a ômicron se mantenham os mesmos adotados em relação à pandemia, com avanço da vacinação e fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

"Não achamos que vai ser diferente das outras variantes. A resposta é a vacinação. Temos um sistema de saúde capaz de dar as respostas no caso de uma variante dessa ter uma letalidade maior", disse o ministro em entrevista coletiva após a assinatura de contrato para compra de 100 milhões de doses da vacina da Pfizer pelo governo federal para 2022.

O ministro ainda pregou que, apesar de ter sido classificada como variante de preocupação pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a ômicron não deve ser encarada como "variante de desespero".

"O Ministério da Saúde está vigilante e preparado para essas novas demandas. Pode surgir variante em qualquer lugar. Oa cuidados são os mesmos adotados desde o início da pandemia."

Queiroga também negou a possibilidade de reduzir o intervalo para a terceira dose, atualmente de após cinco meses da aplicação da segunda, diante da nova variante. A medida é cogitada no Reino Unido.

"Não se pode querer uma ciência self service. Para umas coisas, se quer evidência científica de nível A. Para outros, não tem evidência, só a opinião de um secretário municipal. Não pode ser assim", criticou.

Contato: brunol.santos@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: