Agronegócios
15/05/2018 11:21

Conab: cebola registra alta de preço nos principais mercados atacadistas em abril


São Paulo, 15/05/2018 - Os preços das hortaliças apresentaram movimento sem uniformidade em abril. Nos principais mercados houve oscilações tanto para cima como para baixo. A exceção foi a cebola, com cotações em alta em todos os entrepostos pesquisados. A análise faz parte do 5º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort) nas Ceasas, divulgado nesta terça-feira (15) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A cebola apresentou aumentos consideráveis nos preços em todos os mercados analisados, com destaque para Vitória (Ceasa/ES), cuja alto alcançou 58,76%, seguida pelas Ceagesp - São Paulo (48,96%), Ceasa/RJ - Rio de Janeiro (48,51%), Ceasa/PE - Recife (47,67%), Ceasa/GO - Goiânia (43,73%), CeasaMinas - Belo Horizonte (26,29%) e por último o menor incremento que ocorreu na Ceasa/CE - Fortaleza (6,34%).

Já as variações dos preços da alface para o período continuam sendo explicadas pelas quedas nas temperaturas das regiões produtoras que abastecem os principais centros consumidores. Alguns porcentuais de aumento foram mais significativos, como os verificados na Ceagesp - São Paulo (92,42%) e na Ceasa/PE (45,24%). As demais variações oscilaram entre queda de 10,4% e aumento de 6,58%.

O tomate registrou quedas na Ceagesp - São Paulo (3,77%) Ceasa/RJ (6,23%), na Ceasa/PE (15,96%), e na Ceasa/CE (2,34%). Na CeasaMinas e Ceasa/GO, as altas foram de 1,22% e 7,50%, respectivamente. Na Ceasa/ES, o porcentual foi um pouco mais elevado, 17,71%, "em decorrência das fortes chuvas que provocaram perdas na produção e danos aos frutos", informam os técnicos da Conab, no boletim.

Para a batata, os preços oscilaram entre queda e pequenas elevações, com exceção da Ceasa/PE, cuja alta foi de 15,36%. Tiveram queda os preços nas Ceasa/CE (1,48%), CeasaMinas (2,94%) e Ceasa/RJ (13,42%). Nas demais Ceasas, os porcentuais positivos foram baixos na Ceagesp - São Paulo (2,04), Ceasa/ES (3,14) e Ceasa/GO (3,37%).

A cenoura registrou alta de preço nos mercados analisados no mês de abril, com exceção da Ceasa/GO, que teve queda de 5,79%. Os aumentos ficaram entre 0,50% na Ceasa/PE e 24,75% na Ceasa/ES.

A Conab salienta que essas cinco hortaliças (tomate, cenoura, batata, cebola e alface) são as com maior representatividade na comercialização nas Ceasas e que registram maior destaque no cálculo do índice de inflação oficial (IPCA).

Frutas
No segmento de frutas, o estudo também considerou os alimentos com maior participação na comercialização e no cálculo da inflação (banana, laranja, maçã, mamão e melancia).

Em abril, o destaque para a banana é a alta de oferta da variedade nanica nos principais centros produtores. Houve queda de preços, em virtude da demanda que não acompanhou o aumento de oferta e à competição entre os próprios produtores para escoarem a produção.

A laranja registrou, assim como em março, elevação de preços, mas teve também queda do volume comercializado em todas as Ceasas analisadas. "Nessa época do ano, há falta da variante pera e de laranjas temporãs, por isso, é ofertada boa quantidade de laranjas precoces, que não agrada tanto o consumidor final", explicam os técnicos da Conab. A indústria produtora de suco deve começar as atividades no fim de maio.

Para o mamão, em abril, o destaque fica para a maior queda na comercialização do mamão papaia em algumas regiões, por causa da baixa qualidade e dos altos preços observados anteriormente. "A variante formosa também fechou o mês em processo de queda de preços", observa a Conab.

A maçã gala, com a colheita já finalizada, apresentou frutas consideradas pequenas, o mesmo ocorrendo com a maçã fuji. Ambas as variedades começaram a ser estocadas nas câmaras frias para comercialização no segundo semestre.

A melancia apresentou queda na oferta e nos preços na maioria das Ceasas. Uruana (GO) começou a colheita em ritmo lento, a safrinha paulista apresentou queda na colheita por estar perto de seu fim em 2018. "A melancia de Teixeira de Freitas (BA) também registrou queda da oferta em virtude da proximidade do fim da colheita e da pior qualidade da fruta comercializada na segunda quinzena do mês", conclui a Conab.

O boletim é feito mensalmente pelo Prohort da Conab, a partir de informações fornecidas espontaneamente por grandes mercados atacadistas do País. Para esta edição, foram considerados os entrepostos dos Estados de SP, MG, RJ, ES, CE, PE, GO e DF.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos